QUER DAR UMA RAPIDINHA? PAGUE HOJE E SEJA SALVO AMANHÃ!

Ensaio falar sobre este incômodo tema há bastante tempo, mas, jamais quis emitir juízo de valores sobre religião. Mas, está demais! Como está, nã dá! Foram longe demais…

Não é possível manter-me calado ante esta orgia profana que tem sido a comercialização da fé, a venda da salvação, o escambo do sacro. Prostituição eclesiástica!

Não é possível manter-me calado e assim pecar por omissão.

Não, gente, a salvação não custa absolutamente nada.
As bênçãos de Deus não nos custam nada, posto Deus nos abençoar não pelo que nós somos, mas pelo que Ele é.

Não: não precisa pagar por orações. Pagar por bênção. Fazer um “sacrifício” financeiro, dando dinheiro para gatunos inescrupulosos.

Deus não se compra nem pode ser posto à venda. Fujam, fujam, fujam! Fuja de qualquer doutrina que pregue o sacrifício humano como princípio da Graça. Creia apenas no que o Evangelho diz, ou seja, que Jesus já fez um sacrifício único e suficiente. Você não precisa sacrificar-se.

Não aceite estas doutrinas sacrificiais do Antigo Testamento, período anterior à Graça de Cristo. Não aceite doutrinas baseadas em versículos do AntigoTestamento, lei para Judeus e não para Cristãos.

Não acredite em fábulas medievais: Pedacinhos de cruz de Cristo, Pena da pomba do Espírito Santo, Espinho da coroa de Cristo, Água do Jordão, Areia da Galiléia, Sal grosso sabe-se lá de onde….

Lembre-se: a prática mística que tenta mover o “sagrado” chama-se “magia”. Assim, feitiçaria, macumba, quimbanda, voo-doo e magias em geral caracterizam-se por ser um estilo de espiritualidade na qual algum “deus” ou entidade espiritual está sujeito ao homem e o homem move o “deus” fazendo ou deixando de fazer algo. Se não faz determinada oferenda, recebe uma penalização. Se faz determinada oferenda ou ritual, o divino sente-se obrigado a retribuir. Isto é Magia.

Portanto, dizer que esta ou aquela “oferta em dinheiro” vai obrigar Deus a fazer algo é uma prática chamada macumba, feitiçaria… Que desastre eu estou vendo.

Fuja! Mas, fuja correndo quando você ouvir alguém dizendo que Deus somente irá abençoá-lo “se” você doar R$ 900,00. Isto se chama feitiçaria.

Deus abençoa por que é Deus, não porque Ele é servo de oferendas financeiras ou de qualquer espécie. Eu não tenho dúvidas que muitas pessoas recebem suas bênçãos e graças em lugares onde a fé é comercializada, mas a recebem não porque pagam, mas porque Deus é bom e vê na ignorância do povo mais uma razão para ter misericóridia. É Deus que (vendo o desespero e a fé do povo explorado) tem compaixão e os abençoa, porque Deus é bom, mas não porque Deus exija algo em troca (muito menos grana!).

Deus não quer o seu dinheiro, mas a sua vida.

As ofertas para a casa de Deus devem ser devolvidas porque amamos Deus, não por medo de algum castigo. O constrangimento que deve nos levar a devolver parte do que Deus nos tem dado é porque Ele tem nos dado mais que necessitamos e somos gratos por isso.

Dízimo é doutrina do Antigo testamento. No Novo testamento não existe a doutrina judaica do dízimo. No Novo testamento, dízimo sequer é citado, sabia? Quando alguém fala de dízimo, obrigatoriamente deixa de lado a Nova Aliança e volta-se para a Antiga Aliança, já que este tema é exclusivamente tratado no Antigo, mas jamais citado no Novo, o testamento da Graça. Não há versículo algum sobre a prática do dízimo no Novo Testamento. Particularmente, sou dizmista não porque a Bíblia manda, mas porque amo a Obra de Deus.

Se nossas igrejas adotam prática do dízimo é justamente por isso mesmo, por ser mais “prático”, pois, na verdade, a doutrina dos Evangelhos não é a do dízimo, mas outra, conforme diz o apóstolo Paulo:

‘Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria’ 2 Co 9.7
Fique com a Graça de Cristo. Fique com a Nova e não com a Antiga Aliança.

Inaceitável a comercialização da fé! Prostituição eclesiástica!

Recuso-me agora a ficar calado, mas digo a você: Fuja da comercialização da sua fé!

Fuja de qualquer um que pregue um evangelho onde a bênção vem por meio da grana ou a grana seja sinônimo de bênção. Onde a salvação vem por meio da roupa, onde a Graça de Deus vem, ironicamente, por meio da Lei, dos costumes e dos ritos doutrinários.

Sim, fuja disto tudo e corra em direção a Jesus de Nazaré, que a tudo isto abomina.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=PvW738BT0nQ]

09 comments

writer

The author didnt add any Information to his profile yet

Leave a Reply